Promotor que matou 3 fica mais 60 dias afastado

A Procuradoria-Geral de Justiça do Estado decidiu ontem afastar das funções por mais 60 dias o promotor de Justiça Wagner Juarez Grossi, de 42 anos. Ele é acusado de dirigir bêbado em alta velocidade, atropelar e matar três pessoas na noite de 7 de outubro, na Rodovia Elyeser Montenegro Magalhães (SP-463), em Araçatuba, a 530 quilômetros de São Paulo. O afastamento atende a pedido do corregedor do Ministério Público de São Paulo, Antônio de Pádua Bertoni Pereira, que solicitou novo prazo para concluir a sindicância sobre a conduta do promotor.A medida também foi aprovada pelo Conselho Superior do Ministério Público. Desde 18 de outubro, Grossi está afastado por determinação da procuradoria. Ele responde a processo por homicídio culposo com agravantes. Se condenado, poderá perder o cargo e ser expulso do MP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.