Promotor vai protocolar recursos contra Pimenta até sexta

O promotor criminal de Ibiúna, Carlos Sérgio Horta Filho, deve protocolar até sexta-feira, 12, no Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo um pedido de prisão imediata do jornalista Antonio Marcos Pimenta Neves, réu confesso do assassinato da também jornalista Sandra Gomide. Na última sexta-feira, Pimenta Neves foi condenado a 19 anos, 2 meses e 12 dias de prisão pelo crime, mas ganhou o direito de aguardar em liberdade o recurso contra a sentença. Horta Filho já manifestou no processo o interesse de apelar contra a liberdade do réu. Segundo ele, o pedido para que o jornalista seja preso terá como base o fato de tratar-se de crime hediondo e que causou grande comoção. A libertação do réu, apesar do rigor da condenação, gerou uma sensação de impunidade e de descrença na eficácia da justiça, segundo ele. "Há ainda, devido à morosidade, o receio de dano irreparável, como uma eventual prescrição ou benefício em virtude da idade, que poderia deixar o condenado isento de cumprir a pena." As razões para a prisão de Pimenta serão expostas na apelação ao TJ. Ao mesmo tempo, o promotor entrará com um mandado de segurança contra a decisão de manter o réu em liberdade. "O mandado, por admitir a concessão de liminar, terá análise mais rápida do que a apelação", explicou. Ele acredita que, já na próxima semana, o tribunal poderá decidir se concede ou não a liminar para a prisão do jornalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.