Promotoria convoca aéreas para explicar caos em aeroportos

A promotora Adriana Borghi Fernandes Monteiro, da Promotoria do Consumidor, abriu nesta quarta-feira, 13, inquérito civil para apurar a conduta das companhias aéreas na crise nos aeroportos. Nove empresas e dois sindicatos foram chamados a uma audiência no dia 20: BRA, Gol, Nordeste, OceanAir, Pantanal, Passaredo, Rio-Sul, TAM e Varig, Junta dos Representantes das Companhias Aéreas Internacionais no Brasil e Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea)."O tratamento indigno dispensado aos passageiros", disse a promotora, "causou, além da perda de viagens e compromissos, a exposição a situações humilhantes e desumanas". Procuradas pelo Estado, Gol e Varig preferiram não se pronunciar. Ainda nesta quarta, o presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, informou que a limitação de vôos executivos, que deveria se estender até o dia 28, será encerrada nesta semana. Porém, segundo Zuanazzi, estão valendo as restrições a vôos fretados. Pelas novas regras, anunciadas na segunda-feira, 11, esse tipo de vôo não pode ser feito nos horários de pico: de segunda a sexta-feira, entre 7 horas e 9 horas e das 17 horas às 20 horas. Nos sábados, eles estão liberados; aos domingos, restritos depois das 17 horas.Clima normal nos aeroportosBoletim divulgado no início da tarde desta quarta-feira pela Anac mostra estabilidade no número de atrasos nos vôos. De acordo com o balanço parcial desta quarta, da zero hora até às 10h30, 19% dos vôos tinham atraso superior a uma hora. De 578 pousos e decolagens programados, 110 foram afetados por atrasos e 10 foram cancelados.O aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, liderava a lista, com 14 atrasos, segundo a Anac. O aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, aparecia em seguida com 11 atrasos. O aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital paulista, apresentava nove atrasos. Os aeroportos de Belém e Salvador registravam sete atrasos cada. Os aeroportos de Brasília (Juscelino Kubitschek), Fortaleza e Belo Horizonte (Confins) tiveram seis vôos atrasados nesta manhã.A Anac divulgou também o balanço de atrasos de terça. Segundo o boletim, 25,2% dos vôos tiveram atrasos superior a uma hora e 43 foram cancelados. Os aeroportos de Cumbica e Congonhas tiveram o maior número de atrasos, com 73 e 48 vôos afetados, respectivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.