Promotoria exige medidas urgentes contra vazamento de esgoto

A promotora do meio ambiente de Santa Bárbara d´Oeste, Alexandra Facciolli Martins, determinou a imediata reconstrução do tanque da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Toledo 1, que se rompeu na noite de sexta-feira. O acidente causou o derramamento de 6,3 milhões de litros de lodo de esgoto, a destruição de uma residência - atingindo três moradores - e a interrupção do tratamento de quase 60% do volume que era captado na cidade.Os moradores perderam a casa e seus pertences, e estão internados na Santa Casa da cidade. O boletim médico informa que é estável o quadro clinico de Raimundo Máximo Leão, de 69 anos, Almerinda Gonçalves Leão, 71 e Josefa Gonçalves, 78.Em reunião com os representantes da ETE, DAE (Departamento de Água e Esgoto), Prefeitura, Cetesb e Policia Florestal, a promotoria pediu que sejam estancados vazamentos, remoção dos detritos e isolamento da área. "Pedimos providências urgentes ", afirmou ela. "Ainda é muito cedo para determinar quais as extensões ao meio ambiente". A promotoria aguarda os laudos técnicos preliminares da Cetesb e da Policia Florestal.Após o acidente, foi decretado estado de emergência por 90 dias e o prefeito José Maria de Araújo Junior (PSDB) solicitou ao Governo do Estado verbas para as obras de construção da ETE. O prejuízo material foi de R$ 5 milhões. Com a interrupção do funcionamento do ETE Toledos 1, a cidade está jogando 120 litros por segundo de esgoto in natura no Ribeirão Toledo, afluente do Rio Piracicaba que deságua no Rio Tietê, em Santa Maria da Serra. A promotoria encaminhou um alerta aos municípios atingidos pelo ribeirão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.