Prostitutas protestam contra fechamento de hotéis

Trinta mulheres, que atuam como profissionais do sexo, protestaram na tarde desta quarta-feira nas escadarias da Prefeitura de Campinas, no interior de São Paulo. Elas chegaram em passeata com os rostos cobertos para manifestar contra a lacração de seis hotéis no entorno da antiga Estação da Ferrovia Paulista S.A. (Fepasa) e também denunciaram maus-tratos e violência policial. "Somos pessoas e não vamos nos calar", disse a representante do grupo, Miriam Garavete. Entidades que apóiam o trabalho das mulheres protocolaram um documento em que pedem uma audiência com o secretário municipal de urbanismo, Hélio Jarreta.Na ocasião da lacração, o secretário Jarreta justificou o fechamento dos estabelecimentos devido a falta de alvarás e desvirtuamento do uso dos prédios como motel de alta rotatividade. O grupo ainda lembrou da lacração do Cine Windsor em agosto, o último cinema comercial em atividade no centro da cidade, que exibia filmes indicados para o público adulto. Segundo a administração, o Windsor foi fechado por falta de pagamento de ISS e servia ainda como ponto de prostituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.