Protesto contra a Samarco termina em confusão na Câmara

Policiais legislativos imobilizaram pelo pescoço manifestantes que picharam com lama a palavra 'morte'. Dois foram detidos

Igor Gadelha e Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

25 Novembro 2015 | 16h33

BRASÍLIA - Uma manifestação contra a mineradora Samarco terminou em confusão entre manifestantes e policiais legislativos e pelo menos duas pessoas detidas no início da tarde desta quarta-feira, 25, na Câmara dos Deputados.

Um grupo de cerca de 15 pessoas que representa as vítimas da tragédia ambiental de Mariana (MG) fazia um ato na Câmara, em protesto contra a mineradora. Eles picharam com lama, em uma parede da Casa, a palavra "morte". Quando a polícia interveio, começou a confusão.

Policiais legislativos imobilizaram pelo pescoço manifestantes, que acabaram detidos. Um deputado ainda não identificado tentou impedir a detenção, sem sucesso. Os manifestantes foram levados para o Departamento de Polícia Legislativa da Câmara. 

O incidente gerou uma pequena discussão entre os deputados Evandro Gussi (PV-SP), que depôs contra os manifestantes, e Chico Alencar (PSOL-SP), que defendia o direito do protesto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.