Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Protesto em Brasília lembra os 7 dias da morte de João Alberto

Algumas pessoas que participavam da manifestação jogaram sacos de tinta vermelha contra a fachada de uma loja do Carrefour

Dida Sampaio, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2020 | 22h01

Um protesto em frente a um supermercado da rede Carrefour na 403 Sul, em Brasília, lembrou os sete dias da morte de João Alberto Silveira Freitas, em uma loja da empresa em Porto Alegre. Os manifestantes levaram cartazes contra o racismo e o estabelecimento foi fechado. Algumas pessoas que participavam da manifestação jogaram sacos de tinta vermelha contra a fachada.

A manifestação, que reuniu cerca de 70 pessoas, ocorreu de 17h às 20h30. João Alberto Silveira Freitas  foi espancado e morto por dois homens brancos em uma unidade do supermercado Carrefour no bairro Passo D'Areia, na zona norte de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, na noite de quinta-feira, 19, véspera do Dia da Consciência Negra. Um dos agressores era segurança do local e o outro, um policial militar temporário.

O caso repercutiu no Brasil e no exterior, motivando vários protestos. Em redes sociais, usuários organizaram boicotes contra o Carrefour, que  considerou a morte "brutal" e disse que "adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.