Protesto interdita Linha Vermelha e complica ainda mais trânsito no Rio

De acordo com primeiras informações, manifestantes exigem construção de barreiras metálicas para isolar comunidade da via expressa

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

22 de abril de 2014 | 17h48

RIO - Manifestantes interditaram a Linha Vermelha, uma das principais vias expressas do Rio de Janeiro, por volta das 17h desta terça-feira, 22. O protesto acontece na altura da ligação com a Rodovia Presidente Dutra (BR-116 Sul), no município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

Moradores da favela Parque Juriti, às margens da Linha Vermelha, atearam fogo a pneus e sofás. De acordo com as primeiras informações, eles exigem a construção de barreiras metálicas para isolar a comunidade da via expressa - barreiras semelhantes foram colocadas pela concessionária da Linha Amarela para isolar a via expressa das favelas do Complexo da Maré, na zona norte.

O protesto complica ainda mais o trânsito no Rio nesta terça-feira, primeiro dia útil após o feriado da Semana Santa. Isso porque outra via expressa, a Avenida Brasil, está totalmente fechada desde a noite de domingo, 20, na altura de Bonsucesso, em virtude da obra de construção do BRT TransCarioca (via exclusiva para ônibus articulados que vai ligar o Aeroporto Internacional Tom Jobim, na zona norte, à Barra da Tijuca, na zona oeste). As opções de desvios em ambos sentidos (zona oeste e centro) da Avenida Brasil são insuficientes para receber a quantidade de veículos que todas as manhãs passam pela via.

Segundo o Centro de Operações da prefeitura do Rio, o trânsito está bem lento na Linha Vermelha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.