Protesto pela morte de motoboy complica trânsito em Salvador

Manifestantes protestavam pela morte do estudante Alexandre Fraga, de 17 anos, motoboy morto por policiais

Paulo Leandro, especial para o Estado,

21 de janeiro de 2008 | 15h32

Uma manifestação de motoboys contra a violência complicou o trânsito na manhã desta segunda-feira, 21, em alguns dos bairros mais populosos de Salvador e na região do Shopping Iguatemi. Os manifestantes protestavam pela morte do estudante Alexandre Fraga, de 17 anos, motoboy morto por policiais na madrugada de sábado, 19, no bairro de Pirajá.   Segundo testemunhas, os policiais chegaram atirando e o estudante, que estava na garupa da motocicleta, foi baleado. Os motociclistas, entre eles Fraga, estariam ensinando outros jovens a pilotar. Um dos amigos do jovem relembrou o episódio. "Três de nós foram para um lado, três para outro e ficou a moto que estava com ele, que recebeu o tiro fatal. Quis voltar para ajudar, mas os policias continuaram atirando", afirma. Os disparos teriam atingido o jovem por trás. A polícia diz que houve troca de tiros.   O grupo que estava com Fraga afirmou ainda que procurou em postos de saúde e hospitais onde o motoboy ferido poderia ser atendido, mas somente uma hora e meia depois da tragédia o corpo do adolescente, já sem vida, teria chegado ao Hospital Simões Filho, no Pau Miúdo, zona oeste de Salvador. O presidente do Sindicato dos Motoboys, Henrique Baltazar, convocou uma greve de 24 horas, protestando pela falta de segurança. "Os motociclistas vêm sendo alvos de agressões constantes e não é só pela polícia. Os preconceitos estão voltando", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
protesto de motoboys em Salvador

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.