Protestos diminuem, mas ainda afetam 6 Estados

Em Minas, bloqueio já causa desabastecimento e a Fiat paralisou atividades em alguns setores de sua fábrica

O Estado de S. Paulo

03 Julho 2013 | 23h11

Apesar da decisão judicial que proíbe a paralisação de rodovias federais, houve protestos na quarta-feira, 3, em ao menos seis Estados. Os bloqueios só começaram a ser levantados à tarde.

Em Minas, onde liminar da Advocacia-Geral da União também proibia o bloqueio de estradas estaduais, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, a Fernão Dias (BR-381) foi interditada em trechos dos municípios de Igarapé, Carmópolis, Oliveira e Santo Antônio do Amparo.

A greve nacional já começa a causar desabastecimento, principalmente de combustível, em alguns municípios mineiros, como Divinópolis e Igarapé. A manifestação levou, por exemplo, a Fiat a paralisar as atividades em alguns setores de sua fábrica em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte.

O incidente mais grave nas estradas, nas últimas 48 horas, também ocorreu em Minas. O motorista de um guincho que furou um protesto dos caminhoneiros na MG-050 foi perseguido na noite de terça por cinco manifestantes e o caso acabou em acidente nas proximidades de Itaúna (MG). Ninguém ficou ferido, mas os envolvidos foram levados para a delegacia.

Outras estradas. Em Santa Catarina, o movimento também foi suspenso somente na tarde de terça. A BR-282, no trevo de Maravilha, e a BR-158, em Cunha Porã e Palmitos, onde havia bloqueios, foram liberadas de forma pacífica após a chegada da Tropa de Choque da Polícia Rodoviária Federal. Ainda havia registro de estradas bloqueadas em Espírito Santo, Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul. / GABRIELA VIEIRA, ELDER OGLIARI, MARCELO PORTELA, FÁTIMA LESSA, JÚLIO CASTRO e RENE MOREIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO

Mais conteúdo sobre:
protestos estradas caminhoneiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.