Protetora de animais realiza campanha de adoção

Pequena, com pelo caramelo e branco, uma pequena cadela da Sociedade União Internacional Protetora dos Animais (Suipa) ganhou novo lar e nome com a campanha de adoção realizada pela instituição, no Clube Regatas do Boqueirão do Passeio, no Aterro do Flamengo, zona sul. Ruth, nome dado ao animal, agora tem um lugar na casa do professor Luiz de Azevedo Évora, de 43 anos, e da dentista Ana Claudia Coutinho, de 32 anos. "Não tenho coragem de pagar caro por um cachorro de raça com tantos outros bichos abandonados por aí", afirmou Ana Claudia.A presidente da Suipa, Izabel Cristina Nascimento, disse que a idéia é fazer com que as campanhas de adoção, que acontecem uma vez no mês, passem a ser quinzenais. Hoje, a sede da Suipa do Rio tem cerca de oito mil animais que vivem nos 3.500 metros quadrados do prédio da sociedade, no Jacarezinho, zona norte. De acordo com Izabel, os animais adultos são todos os castrados.A adoção não custa nada ao novo "responsável" pelo animal, que antes de levar o bicho para casa tem que responder a um questionário. "Não gostamos da palavra dono, pois fica parecendo que a pessoa está adquirindo um objeto", ressaltou Izabel. A presidente diz que cerca de 40% dos animais que participam da camanha são adotados.Luiz de Azevedo Évora e Ana Claudia Coutinho decidiram dar uma companhia para o cachorro da casa, Billy, um vira-latas de dois anos. "A Ana Luiza nasceu e ele está com um pouquinho de ciúmes", contou Ana Luiza, que mora com a família em uma casa, na Tijuca, zona norte. Na hora de escolher, um problema: duas cadelas pareciam irresistíveis. Dalvinha, uma vira-latas de pelo curto e bastante levada. A outra, sem nome, de porte menor e peluda, também mostrou simpatia pelo professor.Évora levou as duas cadelas para passear. Optou pela segunda, que ficou latindo para o professor ao verificar que ele havia saído para dar uma volta com a sua colega. "Eu fiquei esperando uma delas se manifestar para eu me decidir. Além do que, a Ruth ficou toda alegrinha durante o passeio", constatou o professor. Veterinário - Évora já tinha planos para a nova mascote da casa: fazer uma geral no veterinário com direito a banho, corte de unhas e remédio para pulgas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.