PSB propõe resgatar o que Dilma retirou de programa

O PSB entregou ontem à candidata do PT, Dilma Rousseff, proposta para ser incorporada a seu programa de governo que contém vários pontos polêmicos. O partido do deputado Ciro Gomes (CE), obrigado a desistir do páreo para apoiar Dilma, prega a taxação das grandes fortunas, o fortalecimento do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), atuação no mercado de câmbio e prioridade estratégica para o programa nuclear.

João Domingos / Brasília, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2010 | 00h00

A proposta de taxação das grandes fortunas foi apresentada pelo PT no primeiro programa de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no dia 5, mas acabou retirada sete horas depois, quando o texto, considerado radical, foi substituído por outro, mais ameno.

No projeto entregue a Dilma, sem a presença de Ciro, o PSB diz que a candidata deve reconhecer o atraso na promoção da reforma agrária e compreendê-la como necessidade histórica. A candidata defendeu o diálogo com os movimentos sociais e disse que o MST não pode ser criminalizado.

"Não podemos tratar o movimento social como se fosse caso de polícia", comentou Dilma. "Quando alguém comete ilegalidade, é absolutamente imprescindível que se tome providências, mas é injustificável que o movimento social seja reprimido ou recebido a bordoada."

Para a taxação das grandes fortunas, o PSB defende uma reforma tributária progressiva. O partido criticou a política macroeconômica do governo, dizendo que ela foi bem-sucedida na maioria de seus aspectos, mas ainda não abordou de forma consequente os patamares da taxa de juros e do serviço da dívida do setor público. Por isso, o PSB pregou juros diferenciados quando destinados a investimentos.

Os socialistas consideram, ainda, que é importante o fortalecimento das estatais e dos bancos públicos. Segundo o texto entregue a Dilma, "essas relíquias jurássicas, como são classificadas pela social-democracia tucana", renderam ao País, no ano passado, R$ 52 bilhões de dividendos.

Fato relevante, de acordo com o PSB, é a necessidade de consagrar a eleição da cibernética, do programa espacial e do programa nuclear como prioridades estratégicas de um futuro governo Dilma. Sistemas relativos tanto ao programa espacial quanto ao programa nuclear, de acordo com o partido, continuam sendo administrados sem especificidades pela "perrenguinchada máquina burocrática, em seus diversos escalões". / COLABOROU V.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.