PSD tenta atrair deputados do PSDB para se tornar 3ª bancada

Sigla de Kassab obtém adesão de tucano do CE e mira mais 2; vice-prefeita de SP e 2 vereadores também acertam filiação

JULIA DUAILIBI, IURI PITTA, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2011 | 03h06

Na última semana de troca de partidos para quem pretende disputar a eleição de 2012, o PSD promoveu uma investida para levar do PSDB deputados federais. O objetivo é ultrapassar o tamanho da bancada tucana, hoje formada por 52 deputados.

Os articuladores do PSD em Brasília conseguiram anteontem a filiação do deputado Manoel Salviano Sobrinho (CE). Outros dois parlamentares, os deputados Pinto Itamaraty (MA) e Carlos Brandão (MA), que está atualmente licenciado, estão na mira do novo partido.

O PSD pretende formar uma bancada de 55 deputados, o que tornaria a legenda a terceira maior força da Câmara, depois de PT e PMDB.

A legislação brasileira permite que parlamentares deixem os seus partidos desde que seja para criar uma nova legenda. A mudança deve ser feita até um ano antes de uma eleição, se quiserem sair candidatos pela sigla.

Idealizador e presidente nacional do PSD, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, conseguiu ontem novas adesões ao partido na capital paulista. A vice-prefeita Alda Marco Antônio (PMDB) e os vereadores Antonio Goulart (PMDB) e Davi Soares (PSC) confirmaram a adesão ao partido do prefeito.

"A mudança foi necessária. Tenho que defender essa administração que o PMDB ajudou a eleger", afirmou a vice-prefeita. A candidatura do PMDB à Prefeitura no ano que vem, com o deputado Gabriel Chalita, será de oposição ao governo municipal.

Os três eram cotados para migrar para o PSD desde que a primeira leva de vereadores assinou a ficha de filiação, antes mesmo de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizar o registro da sigla, na semana passada.

Com as novas adesões, o PSD supera o PSDB e passa a ter nove vereadores. Até amanhã, o número pode chegar a dois dígitos. Toninho Paiva, hoje no PR, tem conversado com Kassab e com os vereadores que ajudam o prefeito a atrair colegas.

Milton Leite, que está no DEM e disputou a presidência da Câmara contra o candidato apoiado pelo prefeito, José Police Neto (PSD), negou ontem que vá mudar para o PSD. Ele cogitava ir para a sigla, mas resolveu ficar no DEM após a filiação de Goulart, seu rival político.

Novos nomes. Com as baixas de Alda e Goulart, o PMDB paulistano foi atrás de novos nomes, focando principalmente na bancada de vereadores. O partido filiou a atriz Maria João, sobrinha do também ator e diretor Antonio Abujamra. Entre as apostas do PMDB para disputar a Câmara estão a filha do Dr. Pinotti, Mariana Pinotti, a palestrante e empresária Leila Navarro e Coronel Ricardo, ligado à Polícia Militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.