PSDB amplia eleitorado de prévias em SP

Em reunião ontem com os quatro pré-candidatos do PSDB à Prefeitura paulistana, o diretório estadual do partido resolveu ampliar o colégio eleitoral que poderá votar nas prévias para escolher os candidatos das eleições do ano que vem. A manobra foi vista como uma derrota do grupo do secretário de Energia e pré-candidato, José Anibal, único dos aspirantes tucanos à Prefeitura que votou a favor do colégio eleitoral mais restrito.

O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2011 | 03h05

A cúpula estadual da sigla chegou a colocar em votação duas propostas. A primeira, defendida pelo governador Geraldo Alckmin e por três dos quatro pré-candidatos, previa um colégio eleitoral mais ampliado, formado por todos os filiados do PSDB na capital, cerca de 20 mil pessoas.

A segunda proposta, defendida abertamente pelo secretário-geral do partido, César Gontijo, e pelo tucano Edson Marques, restringia o colégio eleitoral para aproximadamente 5 mil militantes. Para defender a restrição, tucanos disseram que nem todo filiado era militante e que a votação deveria ser aberta apenas a eles.

Restrição. A ideia de restrição do colégio eleitoral partiu de um integrante da cúpula partidária, Evandro Losacco, próximo a Aníbal. Em reunião do partido em Jundiaí, na segunda-feira passada, ele propôs à Executiva Estadual uma resolução que restringia o colégio eleitoral para cerca de 2 mil pessoas. A resolução, aprovada na Executiva tucana com quórum limitado, teria de ser submetida à reunião do diretório do partido de ontem. Acabou sendo derrotada por 31 votos contra 23.

Pré-candidato de Alckmin, o secretário Bruno Covas (Meio Ambiente) defendeu um colégio eleitoral "amplo, geral e irrestrito". Aliado ao ex-governador José Serra, o secretário Andrea Matarazzo (Cultura) também disse ser a favor de abrir a votação para todos os filiados, assim como o deputado Ricardo Tripoli.

Em seu discurso, Anibal defendeu as prévias, mas não assumiu nenhuma posição quanto ao tamanho do colégio eleitoral. Na votação, foi o único dos quatro pré-candidatos que votou a favor do colégio eleitoral menor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.