PSDB de MG diz que máquina do governo está sendo usada no Estado

O presidente do PSDB em Minas Gerais, deputado federal Nárcio Rodrigues, acusou nesta segunda-feira os ministros mineiros e o vice-presidente da República, José Alencar, de utilizarem a "máquina de governo de forma ostensiva, perigosa e comprometedora" na campanha no Estado pela reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No segundo turno, Alencar e os ministros capitaneados pelo titular do turismo, Walfrido dos Mares Guia, têm agido de forma mais agressiva na arregimentação dos prefeitos mineiros.Após participar de uma reunião com o coordenador da campanha de Alckmin em Minas, Henrique Hargreaves, e com o presidente da Associação Mineira dos Municípios, o prefeito de Mariana, Celso Cotta (PMDB), Nárcio afirmou que o engajamento das lideranças políticas em favor do tucano em Minas será diferente."Vai fazer política aqui os agentes políticos que estejam ou licenciados do cargo ou que tenham renovado seu mandato e estejam à disposição do trabalho eleitoral. Essa é a ação que vai nos distinguir dessa força-tarefa que se está movendo a favor de Lula e que usa a máquina de governo de forma ostensiva, perigosa e comprometedora".A reunião na sede do diretório estadual do PSDB teve como objetivo discutir os rumos da campanha de Alckmin no Estado.Nos últimos dias, pelo menos três prefeitos do PSDB, além de outros chefes do Executivo municipal de partidos que participam da coligação em apoio ao presidenciável tucano, como o PFL e o PPS, participaram de atos promovidos pelos ministros e declararam abertamente voto em Lula.Todos alegam defender o voto "Lulécio" (apoio incondicional ao governador reeleito Aécio Neves (PSDB) e a Lula no plano federal. Na última sexta-feira, o prefeito de Oliveira, Ronaldo Resende, que participou na cidade de Formiga de um ato com os ministros Walfrido e Hélio Costa (Comunicações), anunciou que estava se desfiliando do PSDB e liderando um movimento de prefeitos da região centro-oeste em torno da reeleição do presidente. Outros dois prefeitos tucanos já manifestaram publicamente apoio a Lula.Hargreaves minimiza esses apoios e disse que os prefeitos estão sendo usados como "garotos-propaganda" pela campanha adversária.Minas na chapaAlém de tentar vincular eventuais interesses futuros de Aécio - reeleito com 77% dos votos válidos e potencial candidato à Presidência em 2010 - com a vitória de Lula, a estratégia do PT no Estado é ressaltar que Minas está presente novamente na chapa à reeleição com Alencar.Nesta segunda-feira, no entanto, Nárcio disse que embora o cargo de vice seja estratégico, "quem decide no Brasil de hoje é o presidente da República". Ele afirmou que Alencar passou o governo Lula reclamando dos juros, mas não "conseguiu sensibilizar sequer o presidente pela sua queixa"."É muito importante que nós tenhamos respeito pela figura dele, mas tenhamos a compreensão de quem é que vai mandar no Brasil nas iniciativas de governo".Ao partiicipar da abertura de um congresso supermercadista na capital mineira, o vice-presidente respondeu, com uma certa ironia, "Quem é a pessoa?", perguntou ao ser questionado. "De fato ele tem razão, vice não manda nada, mas Minas está na chapa, isso também é uma verdade e ele também não pode deixar de reconhecer".Mal informadoTambém presente, o ministro do Turismo disse que a reclamação do tucano não procede e que ele está "mal informado". Não se discute questão de máquina, de obra", afirmou. Walfrido, que tirou férias para se dedicar à campanha, disse que em uma semana já conversou com 101 prefeitos mineiros.Alencar foi na mesma linha e desconsiderou a acusação do presidente do PSDB. "Essa história de usar da máquina, isso é um jargão".Pouco depois, durante seu discurso na solenidade de abertura do evento promovido pela Associação Mineira dos Supermercados (Amis), o vice-presidente recebeu um bilhete da organização que solicitou que ele não falasse de política. Mas não obedeceu:"Recebi um recado aqui dizendo que eu não posso falar de política", disse para a platéia. "O regime é democrático e ninguém vai me proibir de falar de política(...) vamos exercitar a democracia, eu estou na chapa do Lula e peço humildemente o voto de vocês".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.