PSDB está mais próximo do PT que partido de vice, diz Tarso

O jornal francês Le Monde destaca na edição desta terça-feira as alianças possíveis para o segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a declaração do ministro das Relações Institucionais, Tarso Genro, reconhecendo que "o PSDB está mais próximo do PT do que do Partido Liberal do vice-presidente José Alencar. "Nossa proximidade programática é maior", disse sobre a idéia de ´concertação política´ com a oposição.Na declaração ao periódico, Tarso se enganou ao dizer que José Alencar está no Partido Liberal. O vice de Lula saiu do PL e filiou-se ao Partido Republicano Brasileiro (PRB), legenda que tem, entre seus representantes, religiosos da Igreja Universal. Para o Le Monde, os escândalos de corrupção que envolveram o governo do presidente Lula e o PT revelaram "a urgência de uma reforma do sistema político no País". O jornal avalia ainda que um consenso é indispensável para que o Congresso, paralisado desde 2005 pelas CPIs que apuram as denúncias dos recentes escândalos, possa votar a reforma política e outras reformas: fiscal, da previdência e trabalhista.O diário francês afirma que os social-democratas estão divididos entre uma ala à esquerda, representada por José Serra, governador eleito de São Paulo, e uma ala conservadora, encabeçada por Geraldo Alckmin, derrotado nas urnas. Já Aécio Neves, reeleito governador de Minas Gerais, relaciona-se em ´perfeita harmonia´ com Fernando Pimentel (PT), prefeito de Belo Horizonte e ´candidato forte ao Ministério da Economia´, e é apreciado por Lula, segundo Le Monde.Para o jornal, visando 2010, Serra e Aécio têm interesse em manter uma relação ´harmoniosa´ com o governo, aliado de 17 dos 26 Estados e Distrito Federal.Por outro lado, nem Alckmin nem o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que segundo o Le Monde não se resigna à aposentadoria, não terão espaço no futuro se houver um entendimento entre PSDB e PT: "a pílula é igualmente amarga para uma parte do PT, sempre resistente a alianças políticas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.