PSDB, PFL e PPS protocolam pedido de investigação contra Okamotto

Advogados dos partidos PSDB, PFL e PPS protocolaram nesta quinta-feira, 17, um pedido na Procuradoria Geral da República, em Brasília, para que seja aberta uma investigação contra o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, que é amigo pessoal do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Na representação, as siglas sustentam que Okamotto prestou falso testemunho durante depoimento na CPI dos Bingos, ocorrido em novembro. No depoimento, ele negou que Lula soubesse que ele havia quitado o débito de R$ 29,4 mil com o PT. Okamotto disse também que jamais comentou sobre isso com o presidente.Em entrevista recente concedida ao Jornal Nacional, da TV Globo, Lula afirmou que sabia da dívida e ressaltou que não devia nada ao PT e por isso não pagaria o débito. Conforme relato do próprio Lula durante entrevista à TV Globo, na época, ele disse a Okamotto que "se ele quisesse pagar, que pagasse". "Eu não tenho nada com isso, não vou pagar".Para os partidos, houve uma contradição que deve ser apurada. Eles querem que seja investigado detalhadamente o episódio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.