PSDB quer definir vice até 12 de junho

BRASÍLIA

Ana Paula Scinocca, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2010 | 00h00

O PSDB quer tentar definir até a convenção do partido, marcada para 12 de junho, o nome do vice que irá compor a chapa com José Serra. A cúpula do partido entende que a demora na escolha do nome e a pressão, até ontem, para que o ex-governador mineiro Aécio Neves (PSDB) aceitasse o posto estão prejudicando a campanha ao Palácio do Planalto.

Antes mesmo que Aécio dissesse ontem, que não vai disputar a vice, integrantes do partido já consideravam, no Congresso, praticamente nulas as chances de ele compor a chapa.

O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), coordenador político da campanha de José Serra, disse ontem que pretende discutir a vice com o presidenciável em reunião na segunda-feira, em São Paulo. "Quero conversar com calma com o Serra sobre isso", afirmou, evitando citar nomes de prováveis vices.

Apesar da desistência de Aécio, dentro do PSDB ainda se cogita outro tucano para compor a chapa com Serra. Os nomes ventilados são o do senador Tasso Jereissati (CE) e do próprio Guerra. A escolha, dizem tucanos, caberá a Serra.

Em caso de chapa puro-sangue, tucanos defendem que o escolhido seja da região Nordeste. Serra e Tasso têm uma relação conflituosa por conta da campanha de 2002, mas têm se aproximado e as rusgas parecem ter ficado para trás.

Fora da área tucana, há poucas opções. O nome de Francisco Dornelles (PP-RJ) foi descartado após emenda de sua autoria no texto do projeto Ficha Limpa. No DEM, os cotados são o deputado José Carlos Aleluia (BA) e a senadora Kátia Abreu (TO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.