Psicóloga que estava desaparecida no Rio deixou bilhete para família

Karen Tannhauser passou três dias desaparecida e foi encontrada dentro do porta-malas do carro do síndico do prédio em que mora

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

04 de janeiro de 2011 | 18h31

RIO - A psicóloga Karen Tannhauser, de 37 anos, que passou três dias desaparecida e foi encontrada dentro do porta-malas do carro do síndico do prédio em que mora, havia escrito um bilhete de despedida, informou nesta terça-feira, 4, a polícia. A moça havia deixado em sua agenda o seguinte recado: "Eu não me acho no direito de ser feliz. Mas não levo ninguém junto. Vivam suas vidas e nunca se culpem".

 

Karen havia sumido em 31 de dezembro e as câmeras de segurança do condomínio em que mora só registrava a entrada dela no edifício, mas não a saída. Ela só foi encontrada na tarde de segunda-feira, suja e em estado de choque. Segundo a polícia, ela passou os três dias perambulando no prédio. Nesta terça-feira, a psicóloga passaria ainda por exame toxicológico e de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.