PT afirma que filiação de contador não se consumou

TRE teria rejeitado registro por erro no nome do pivô da violação do sigilo da filha de Serra; Atella é cunhado de fundador do PT em Mauá

Malu Delgado, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2010 | 00h00

Por um erro de grafia, a filiação de Antonio Carlos Atella Ferreira ao PT não foi concretizada em outubro de 2003, segundo o PT de São Paulo. O partido divulgou nota para esclarecer que o contador responsável por ter apresentado a procuração falsa no escritório da Receita de Santo André, para ter acesso ao sigilo fiscal de Verônica Serra, "nunca participou das atividades do partido".

O pedido de filiação de Atella Ferreira foi erroneamente grafado como Antônio Carlos Atelka Ferreira e, em virtude do equívoco, o registro não foi aceito pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e a filiação foi suspensa.

"Em decorrência de não existir compatibilidade entre o nome constante do pedido de registro de filiação e os documentos eleitorais, a Justiça Eleitoral deixou de efetivar o registro de filiação", informou o PT-SP.

Segundo o presidente do PT estadual, Edinho Silva, "para a vida interna do PT ele nunca foi filiado". O dirigente enfatizou que durante todos esses anos Atella Ferreira nunca regularizou a situação, apesar de "diversas vezes o diretório municipal de Mauá" ter feito contato solicitando que os dados pessoais fossem corrigidos.

"Ele nunca procurou o diretório municipal e, consequentemente, ele não foi aceito perante a Justiça Eleitoral e tampouco foi considerado filiado do PT, porque ele nunca participou de nenhuma das atividades partidárias", enfatizou Edinho. "Se ele tivesse o desejo de participar do PT ele teria procurado o diretório municipal e regularizado sua situação."

Fundador do PT. Edinho Silva admitiu que Atella Ferreira é cunhado do procurador de Justiça João Primo, um dos fundadores do PT de Mauá. "O cunhado dele é fundador e militante do PT", afirmou.

Edinho Silva disse que o diretório de Mauá continua fazendo levantamentos para elucidar os fatos e informou não ter conhecimento de quem no partido homologou a ficha de filiação de Atella Ferreira. "O PT tem feito uma campanha limpa, pautada em propostas, e é assim que o PT vai se comportar até o final das eleições. O PT não tem absolutamente nada a ver com esse episódio e não tem nenhuma relação com esse senhor", disse o presidente estadual da legenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.