PT decide interpelar Serra na Justiça

No Twitter, Dutra diz que pretende cobrar 'esclarecimento' do tucano sobre declarações em que responsabilizou Dilma por suposto dossiê

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2010 | 00h00

Tiroteio. ‘As especulações acerca do suposto dossiê estão sendo alimentadas pela oposição’, diz Dutra

 

 BRASÍLIA

O episódio do suposto dossiê petista contra o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, deve parar na Justiça. Ontem, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, anunciou que o partido vai interpelar Serra por responsabilizar a adversária Dilma Rousseff pela fabricação do tal documento.

"Decidimos interpelar o Serra judicialmente, por suas acusações a Dilma e ao PT, sobre o tal dossiê. Quem não deve não teme", disse Dutra em sua página no Twitter (rede de microblogs).

A declaração do petista é mais um capítulo em torno da polêmica sobre o suposto dossiê que, segundo a revista Veja, teria denúncias contra Serra. Na quarta-feira, a temperatura política subiu após o pré-candidato do PSDB acusar Dilma de ligação com o caso. "A principal responsabilidade por esse novo dossiê é da candidata Dilma Rousseff. Disso eu não tenho dúvida", disse Serra. A reportagem de Veja, que serviu para desencadear a reação dos tucanos, relatou que Dilma interveio para abortar a produção do suposto dossiê e desaprovou sua eventual confecção.

Em nota, o presidente do PT explicou que o objetivo da interpelação judicial será o "esclarecimento" por parte de Serra sobre essas declarações. "O PT reafirma que nunca sua direção nacional nem a coordenação da campanha de Dilma Rousseff determinaram a elaboração de qualquer dossiê a respeito. As especulações acerca do suposto dossiê estão sendo alimentadas pela oposição numa tentativa desesperada de buscar reverter um quadro eleitoral adverso", disse Dutra.

O advogado José Gerardo Grossi reforçará a equipe jurídica da campanha do PT, que tem ainda como consultor o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos.

Estilo. Ontem o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), se pronunciou sobre o caso. Ele chegou a chamar os integrantes do PT de "essa gente sem vergonha que não respeita nada". "Toda essa manifestação do Dutra ou de gente como ele tem um objetivo: esconder Dilma. Trata-se de uma inversão ética completa", afirmou. Guerra disse ao Estado que o anúncio de interpelação contra Serra visa "salvar Dilma da trapalhada porque ela nunca sabe de nada".

Ele também reagiu no Twitter à declaração de Dutra, que na véspera classificara como "patifaria" a relação feita pelos tucanos entre Dilma e o suposto dossiê. "Não faz sentido a agressão de Dutra contra mim. Não é esse o meu estilo. Não faço a mesma coisa", afirmou Guerra.

Por outro lado, Dutra cobrou de Guerra o compromisso fechado no debate feito pelo Estado entre os dois, no dia 10 de maio, de evitar baixarias na campanha. "Sérgio Guerra ainda disse num debate comigo no Estadão que queria uma campanha de alto nível." Segundo Veja, um "grupo de inteligência" teria sido montado pelo jornalista Luiz Lanzetta, dono da Lanza Comunicação, contratada pelo PT, para levantar denúncias contra Serra./ COLABOROU JULIA DUAILIBI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.