PT do Piauí pede punição para ministro de Lula

Direção estadual denuncia Alexandre Padilha ao diretório nacional por infidelidade partidária, em razão de apoio a candidato do PP

Luciano Coelho ESPECIAL PARA O ESTADO TERESINA, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2010 | 00h00

A direção do PT no Piauí quer que o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, seja punido pelo diretório nacional do partido por infidelidade partidária. O ministro gravou depoimento apoiando a candidatura ao Senado de Ciro Nogueira (PP), adversário da coligação do PT.

O partido pede agora a suspensão da exibição da mensagem no horário eleitoral gratuito no Estado. O PT-PI também está produzindo uma relação com dirigentes de diretórios municipais que estão em campanha para candidatos fora da coligação estabelecida pelo partido. Os casos serão entregues à Comissão de Ética para análise.

A mensagem gravada pelo ministro Alexandre Padilha e exibida no programa eleitoral do candidato Ciro Nogueira dizia: "A Dilma precisa de senadores comprometidos com a construção de um país cada vez mais forte e mais justo. Peço seu voto para Ciro 111. Parceiro de Dilma e parceiro de Lula."

Surpresa. "Eu vi o programa e não entendi. Discutimos isso em reunião da Executiva e decidimos representá-lo junto à Executiva Nacional do PT, já que ele é de São Paulo e é ministro", informou o vice-presidente regional do PT, Edilberto Borges, o Dudu. Ele reclama que o partido tem dois candidatos a senador no Estado.

"Não cabe pedir votos para outro candidato, principalmente de outra aliança. As medidas que a Executiva Nacional pode tomar são de advertência a expulsão. Vamos comunicar que ele cometeu um deslize no Piauí. Vamos pedir a imediata suspensão das inserções. Isso é uma infidelidade no meu entender. A comissão irá analisar e chamar as partes", informou Borges.

A mensagem de Padilha causou revolta aos petistas piauienses, principalmente ao candidato a senador do partido no Estado Antônio José Medeiros. Medeiros chegou a desmentir a informação de que Padilha apoiaria a candidatura de Ciro e foi pego de surpresa ao assistir a mensagem do ministro no programa eleitoral.

Outros casos. Agora, o PT do Piauí quer que Padilha seja punido pelo diretório nacional. Os petistas também estão de olho nos diretórios municipais piauienses que estão dando apoio ao candidato a governador João Vicente (PTB). Os casos serão analisados individualmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.