PT é bem avaliado em transportes e PSDB, na saúde

A pesquisa encomendada pelo PT paulistano também mediu a preferência e a rejeição dos partidos em São Paulo. A sigla aparece com 33% de apoio - número pouco acima do índice histórico obtido na cidade e mais próxima da média nacional. O contraponto é que o PSDB tem 20% da preferência dos paulistanos, bem acima do visto em nível nacional.

O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2011 | 03h05

A terceira força política, embora considerada coadjuvante pelos eleitores, é o PMDB, que tenta recuperar o protagonismo lançando o deputado Gabriel Chalita à Prefeitura.

O índice de rejeição do PT também é o mais alto: 20%. Os tucanos, no entanto, estão próximos, com 17%. O saldo ainda é positivo (3 pontos), mas inferior ao dos petistas (13). Nos demais partidos, esse resultado é negativo.

Outro dado que animou os petistas é a avaliação positiva da gestão Marta Suplicy. Embora a administração José Serra também seja bem avaliada, o saldo da petista é melhor e deixou duas marcas que o partido vai explorar na campanha: avaliação positiva na gestão dos transportes e da educação. Na saúde, área em que o PSDB se sai melhor, há empate entre as siglas.

Os entrevistados também atribuíram ao PT qualidades associadas ao PSDB, como capacidade de gestão - herança do bom desempenho do governo Lula na economia. O ponto fraco, também herdado do governo federal, é ser mais associado à corrupção que o PSDB. / I.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.