PT pede investigação sobre afastamento de diretor da Cultura

Gabriel Priolli deixou o comando do jornalismo da emissora; saída é atribuída a reportagem sobre tarifas de pedágio

, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2010 | 00h00

O PT paulista pedirá ao Ministério Público Eleitoral que sejam investigadas as razões do afastamento do diretor de jornalismo da TV Cultura, Gabriel Priolli. Na última quinta-feira, o vice-presidente de conteúdo da emissora, Fernando Vieira de Mello, avisou a Priolli que ele deixaria o cargo que tinha assumido havia uma semana.

Sites e blogs relacionaram o afastamento à produção de uma reportagem sobre as tarifas de pedágio nas estradas de São Paulo, tema que vem sendo explorado com constância pela campanha petista ao governo estadual. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Vieira de Mello afirmou que veiculação da reportagem fora suspensa porque a apuração não tinha sido concluída.

Para a reportagem, produzida originalmente para o Jornal da Cultura, haviam sido entrevistado os dois principais candidatos do Palácio dos Bandeirantes, Geraldo Alckmin (PSDB) e Aloizio Mercadante (PT). A cúpula da emissora recomendou, então, que os candidatos de outros partidos também fossem ouvidos. Nem a direção da TV Cultura nem Priolli até agora se manifestaram oficialmente sobre o caso.

Campanha. O episódio serviu de mote ontem para a campanha do PT. Mercadante, que comandou caminhada em Guarulhos, criticou: "A matéria é feita com critérios jornalísticos. Os dois candidatos são ouvidos. E depois a matéria não vai ao ar, o jornalista é afastado e a mídia brasileira nem sequer se manifesta. Esse episódio é muito grave e atenta contra a liberdade de imprensa".

Já Alckmin evitou comentar o caso. "É assunto interno da emissora", disse ele, que participou do Festival da Tainha, em Caraguatatuba.

Outro que será afastado de suas funções na Cultura é o apresentador Heródoto Barbeiro, que deixará o comando do programa de entrevistas Roda Viva, um dos mais importantes da emissora. Ele será substituído por Marília Gabriela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.