PT perde 2,1 milhões de votos em quatro anos

À primeira vista, a conquista dos governos de quatro Estados e a eleição da segunda maior bancada da Câmara dos Deputados dão uma impressão positiva sobre o desempenho do PT na eleição de 2006. Mas a comparação com resultados do passado e de outros partidos leva a uma conclusão diferente. As denúncias de corrupção custaram caro ao Partido do Trabalhadores. Entre 2002 e 2006, o PT perdeu 2,1 milhões de votos. Foram 13,990 milhões neste ano, contra 16,094 milhões há quatro anos. Como resultado, o partido que elegera 91 deputados em 2002 obteve agora 83 cadeiras. O PT perdeu 13% de seu eleitorado entre uma eleição e outra. As perdas se concentraram nas regiões Sul (menos 675 mil votos, ou -22%) e no Sudeste (menos 1,902 milhão de votos, ou -23%). O Estado mais crítico foi São Paulo, onde o partido teve uma votação 21,5% menor (1,062 milhão de votos a menos). O estrago só não foi mais grave porque a legenda conseguiu compensar o fato com crescimentos no Nordeste (mais 374 mil votos, ou 13%) e, principalmente, no Norte (31%, ou 207 mil votos) do país.Custo eleitoralO custo eleitoral do envolvimento com os escândalos do mensalão e do dossiê antitucano fica mais evidente quando se compara o desempenho petista na eleição de deputados federais com o de outros partidos. O PMDB fez 1,888 milhão de votos a mais em 2006 e consolidou-se como sigla mais votada na eleição para a Câmara na região Sul - título que em 2002 coube ao PT. O principal rival petista ficou praticamente na mesma entre uma eleição proporcional e outra. O PSDB registrou crescimento de apenas 1,2% em sua votação para deputado federal em 2006. Os tucanos cresceram no Sul (19,5%) e no Sudeste (7%), onde tiraram dos petistas a condição de mais votados da região. Mas esse crescimento foi neutralizado pelas perdas de votos no Nordeste (10%) e no Centro-Oeste (17%).Candidato x partidoTambém em comparação ao desempenho eleitoral do presidente Luiz Inácio Lula Silva, o PT saiu das urnas em 2006 proporcionalmente menor do que era em 2002. Quando elegeu-se presidente da República, Lula teve uma votação individual no primeiro turno que equivalia a 2,5 vezes a votação da legenda para deputado federal. Quatro anos depois, a votação de Lula cresceu, e a do PT caiu. Resultado: Os votos de Lula são 3,2 vezes mais numerosos do que os dos deputados federais de seu partido. Resta o consolo de que o principal partido de oposição, o PSDB, não conseguiu transformar as perdas petistas em ganhos significativos. Ao contrário. Elegeu deputados federais a menos do que em 2002. E a votação do candidato tucano a presidente da República, Geraldo Alckmin, foi 3,1 vezes maior do que os votos somados de todos os candidatos do PSDB a deputado federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.