PT quer Patrus de vice em Minas para evitar 'corpo mole'

O comando nacional do PT está empenhado em convencer o ex-ministro Patrus Ananias a ser vice na chapa encabeçada pelo senador Hélio Costa (PMDB), que vai disputar o governo de Minas. A adesão de Patrus funcionará como um termômetro para ver o grau de envolvimento do PT mineiro na campanha.

Cenário: Eugênia Lopes, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2010 | 00h00

Não está descartada a possibilidade de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer apelo para que Patrus aceite ser vice. Parte do PT de Minas resiste a apoiar a candidatura do peemedebista. Petistas mineiros preferiam ter candidato próprio, o ex-prefeito Fernando Pimentel, mas foram enquadrados pela direção nacional do partido. A previsão é que parcela significativa do PT mineiro faça "corpo mole" na campanha de Costa, principalmente se Patrus não for para a chapa do PMDB.

"Agora é hora de conversar. Quem vai convencer o Patrus a ser vice do Costa é o grupo do Fernando Pimentel", diz o presidente do PMDB de Minas, deputado Antonio Andrade.

Além do PT, o PMDB enfrenta dificuldades de trazer os partidos aliados para a campanha de Costa. Uma das defecções é o PSB mineiro, que já avisou: vai consolidar a chapa "Dilmasia" - voto na petista Dilma Rousseff para presidente e no tucano Antonio Anastasia para o governo de Minas. "Vai ser Dilmasia total na base do governo Lula. E não vai ser só o PSB que vai votar assim. Outros partidos da base vão fazer o mesmo", afirma o deputado Júlio Delgado (PSB-MG).

Os rebeldes também pretendem formar a chapa "Pimentécio" - voto no petista Pimentel e no tucano Aécio Neves para o Senado. Voto no PT e PSDB não é novidade: 40 cidades de Minas têm prefeitos do PT e vice do PSDB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.