PT quer usar recuo da Prefeitura para mostrar que obras estavam regulares

Depois de se transformar em um dos temas centrais da eleição municipal passada, quando o então candidato José Serra (PSDB) apontou supostas irregularidades em dois dos principais contratos celebrados na gestão de Marta Suplicy (PT) - a construção dos túneis que passam sob a Avenida Faria Lima e o contrato de coleta de lixo -, o tema deve voltar a esquentar a campanha deste ano.Caso saia candidata, a campanha de Marta Suplicy deve usar o recuo da atual gestão em anular os contratos criticados para legitimar a regularidade das obras. "Nada como um dia depois do outro para desmontar as calúnias do governo Serra/Kassab contra a gestão passada", diz o vereador Antônio Donato (PT), sobre a decisão da Prefeitura de pagar as dívidas dos túneis. O petista pretende apresentar na terça-feira uma requisição na Câmara convocando o presidente da Emurb, Marcelo Branco, para explicar a decisão.Durante a campanha eleitoral, e depois de assumir a Prefeitura, José Serra disse que não pagaria as dívidas com as empreiteiras que executaram as obras dos túneis porque os contratos continham irregularidades graves. Afirmou que iria anular o contrato de R$ 10 bilhões para os serviços de coleta de lixo pelos mesmos motivos.Em 2006, o prefeito Gilberto Kassab (DEM), que sucedeu a Serra, montou equipe de corregedores que apontou irregularidades na contratação e execução dos túneis. Os corregedores indicaram ainda à Prefeitura a necessidade de anular os contratos por causa das problemas, decisão que foi acatada. As empreiteiras não aceitaram a decisão e entraram na Justiça. A Emurb contratou dois pareceres, que concluíram que a anulação dos contratos seria uma medida ilegal. No dia 20 de dezembro, a Emurb decidiu fazer o pagamento, efetuado no começo de janeiro. Os contratos de coleta de lixo também foram renegociados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.