PT rejeita oferta pedetista e fica na oposição no RS

O PT de Porto Alegre vai continuar fazendo oposição ao prefeito José Fortunati (PDT). A decisão, tomada no final da noite de terça-feira, rejeita o convite de participação na gestão municipal, feito ao partido pelo prefeito. "Nós nunca nos pautamos pela oferta de cargos", destacou o presidente municipal do PT, vereador Adeli Sell.

Elder Ogliari / PORTO ALEGRE, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2011 | 00h00

Fortunati havia oferecido três secretarias ao PT nesta semana, num gesto interpretado como a colocação da primeira pedra no tabuleiro da eleição do ano que vem, na qual será candidato a reeleição. Como ainda não tem um nome definido, o PT é assediado pelos aliados do PDT e do PC do B, que gostariam da retribuição ao apoio que dão aos governos estadual, de Tarso Genro, e federal, de Dilma Rousseff. A candidata do PC do B será a deputada federal Manuela D"Ávila.

O cenário político de Porto Alegre tem outras complexidades. O PT é mais próximo de Manuela. Fortunati apoiou Dilma, mas fez campanha por José Fogaça (PMDB) para governo do Estado.

Segundo Sell, o PT prefere lançar candidato a prefeito n capital gaúcha em 2012, mas admite discutir outras composições com aliados de Tarso e Dilma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.