Publicitário atacado por pit-bull quer proibir criação do animal

O publicitário Vaner Gomes, de 58 anos, vai liderar uma campanha para ser proibida a criação de pit-bull em Araçoiaba da Serra. A 115 quilômetros de São Paulo. É que ele ficou ferido gravemente depois de ter se atracado com um cão da raça pit-bull pertencente a seu vizinho de chácara. O ataque aconteceu na tarde de sábado. O animal, de nome Jason, pulou um muro de dois metros de altura que separa as propriedades e avançou contra Gomes. O publicitário lutou cerca de dez minutos com o cão, enquanto gritava por socorro sem receber ajuda. No momento do ataque, Gomes estava mostrando a chácara a um possível comprador.As pessoas que estavam no local, inclusive o interessado na compra, saíram correndo assustadas. "Agarrei no pescoço dele e segurei com força para evitar que atingisse minha jugular", contou Gomes. O pit-bull arrancou pedaços do seu peito e praticamente dilacerou os dois braços. Um rapaz que estava nas proximidades pulou o muro e afastou o cão, puxando por um pedaço de corrente preso à coleira. O publicitário recebeu os primeiros socorros de um amigo que é médico dermatologista que o visitava. Levado a um pronto-socorro, foi submetido a uma cirurgia de quatro horas. "Perdi muito sangue e levei mais de 50 pontos cirúrgicos", contou. O muro fora construído em razão de outro ataque do mesmo animal, ocorrido em fevereiro. Naquela ocasião, Jason passou pela antiga cerca e investiu contra o caseiro da chácara, Antonio da Silva, de 81 anos, deixando-o bastante ferido. A nova contenção, concluída há 15 dias, não foi suficiente. Vaner vai requerer judicialmente a retirada do cão. Hoje ele foi submetido a exame de corpo de delito. O proprietário do animal, Eduardo Sadek, disse que foi um acidente, pois o cão estava preso por uma corrente e arrebentou-a . Ele tem outro pit-bull, mas prometeu livrar-se dos animais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.