PV do Rio vai insistir em Aspásia para senadora

Apesar da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que rejeitou a possibilidade de partidos lançarem candidatos avulsos ao Senado, o PV do Rio vai insistir na candidatura da vereadora Aspásia Camargo fora da coligação com PSDB, DEM e PPS, que sustenta a candidatura do deputado verde Fernando Gabeira ao governo.

Luciana Nunes Leal / RIO, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2010 | 00h00

O presidente do PV do Rio, vereador Alfredo Sirkis, disse que a decisão da ministra Cármen Lúcia não contempla a situação específica da coligação de Gabeira, que tem a particularidade de apoiar dois candidatos diferentes a presidente, José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV).

Também deixou claro que o partido pretende levar a questão ao Supremo Tribunal Federal (STF). "Entendemos que este é um assunto constitucional, porque há uma resistência à emenda que acabou com a verticalização nas eleições", argumentou Sirkis, coordenador da campanha de Marina. A verticalização obrigava as siglas a replicarem nos Estados as coligações nacionais.

A estratégia do PV é levar o assunto a um longo processo judicial que vá além do período das eleições. Enquanto isso, farão campanha para Aspásia senadora. Os outros três partidos da aliança pedirão votos para o ex-prefeito Cesar Maia (DEM) e para o ex-deputado Marcelo Cerqueira (PPS). Sirkis argumenta ainda que o TSE apenas respondeu a uma consulta. "Não tem força de decisão judicial", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.