PV pede quebra de sigilo de funcionários da Anac, Infraero e Conac

Informação foi dada à CPI do apagão na Câmara; Também foi ouvido deputado Gustavo Fruet, do PSDB, que vai pedir abertura de processo contra a diretoria da Anac

25 Julho 2007 | 19h19

O deputado federal, Sarney Filho (PV-MA),disse nesta quarta-feira, 25,à CPI do Apagão na Câmara, que seu partido irá pedir a quebra de sigilo bancário de funcionários dA Anac, Infraero, Conac e ministério da Aeronáutica.   "Venho aqui trazer uma decisão do nosso partido que é a decisão de pedir quebra do sigilo bancário dos funcionários da Anac, Conac, Infraero, e ministério da Aeronáutica, que de uma forma ou de outra tenham participação no processo decisório. Para aqueles que acham estranho a quebra do sigilo, é importante dizer que o que se fala é que existe uma relação imprópria entre esses órgãos e as companhias de aviação. Quebrando o sigilo bancário vamos afastar a suspeita de que houve qualquer tipo de pressão, imposição, por parte das companhias aéreas.   Além de Filho, prestou depoimento à CPI o deputado federal Gustavo Fruet (PSDB-PR), que voltou a defender a abertura de processo disciplinar contra a diretoria da Anac.   "Eu não estou propondo enfraquecer a agência, eu estou propondo uma lei que estabelece a possibilidade da abertura de um processo, por favor não vamos confundir com uma teoria conspiratória. O meu rigor é o questionamento. Eu não acusei os presidentes da Anac, o que eu estou questionando é a autoridade da agência. Não me confunda com golpista, vamos manter o equilíbrio, graças a Deus uma minoria da CPI se manteve contra'', disse Fruet.   O 1º vice-presidente da comissão, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), informou, porém, que não vai colocar em votação nesta quinta-feira o requerimento de Fruet para que o Ministério da Defesa abra esse processo. Disse ainda que o requerimento não vai à pauta por causa do recesso parlamentar e que as reuniões atuais da CPI tratam especificamente do acidente ocorrido na semana passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.