Qantas cogita 'problema de projeto' em falha na turbina de A380

Uma peça defeituosa ou um problema no projeto pode ter causado a explosão em uma turbina de um Airbus A380 da Qantas Airways, que na quinta-feira provocou um pouso de emergência em Cingapura, disse nesta sexta-feira um executivo da companhia aérea australiana.

MICHAEL PERRY E VICTORIA THIEBERGER, REUTERS

05 Novembro 2010 | 09h55

O incidente, que espalhou destroços sobre uma ilha indonésia, foi o mais grave até agora envolvendo o maior avião de passageiros do mundo, em operação apenas desde 2007.

O caso levou a Qantas a suspender os voos com seus seis A380s, e outras empresas a checarem suas frotas.

"Acreditamos que isso seja muito provavelmente uma falha material ou algum tipo de problema de projeto", disse o executivo-chefe da Qantas, Alan Joyce, a jornalistas em Sydney.

Ele acrescentou que os voos da Qantas com o A380 podem ser retomados em um ou dois dias, "se não encontrarmos descobertas adversas nas verificações".

As autoridades australianas descartaram a hipótese de sabotagem.

As ações do consórcio europeu EADS, fabricante do Airbus, operam em alta de 1 por cento nesta sexta-feira, após registrarem queda de 4 por cento na véspera.

Já os papéis da Rolls-Royce, que fornece as turbinas do Airbus, caíram mais 1,6 por cento, depois de despencarem 5 por cento na quinta-feira. As duas companhias divulgaram notas pedindo que as empresas aéreas submetam os A380s a verificações.

Mais conteúdo sobre:
ACIDENTE QANTAS A380*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.