AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Quadrilha aproveita tragédia de Mariana para furtar máquinas

Parte do equipamento alugado por suspeitos desapareceu; segundo prefeito, golpe pode passar de R$ 2 mi

Leonardo Augusto, Especial para O Estado

14 de janeiro de 2016 | 20h41

BELO HORIZONTE - Uma quadrilha usou o rompimento da barragem da Samarco em Mariana para furtar dez máquinas usadas na desobstrução de estradas. O golpe pode ultrapassar R$ 2 milhões, de acordo com o prefeito da cidade mineira, Duarte Júnior (PPS), que revelou o crime. A Polícia Civil investiga o caso.

Conforme o prefeito, que concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira, 14, em Belo Horizonte, um grupo de pessoas procurou a Secretaria de Obras da cidade e se colocou à disposição para trabalhar na recuperação de áreas próximas de Bento Rodrigues, distrito de Mariana destruído pela queda da barragem de Fundão, da Samarco, em 5 de novembro. Dezessete pessoas morreram na tragédia e duas continuam desaparecidas.

O serviço seria para limpeza de acessos e colocação de cascalhos em estradas. Conforme Duarte Júnior, os suspeitos afirmaram que o trabalho seria feito de forma voluntária, sem custos para o município.

A prefeitura, então, fechou um contrato de prestação de serviços com o grupo o que, ainda conforme o prefeito, seria prática comum com todas as empresas que trabalham na recuperação de áreas atingidas pela tragédia. O nome usado pela quadrilha foi o da empresa HCS, do Rio de Janeiro.

Com o contrato em mãos, o grupo alugou 11 máquinas na empresa Lafaete Locações, de Belo Horizonte. O golpe foi aplicado na primeira quinzena de dezembro. O pagamento da primeira parcela seria daí a um mês. Até a noite desta quinta, seis máquinas haviam sido recuperadas: três estavam no pátio da prefeitura, duas foram abandonadas em um posto de gasolina e outra foi deixada perto de uma obra, também no município. Outras quatro ainda estavam desaparecidas nesta quinta.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.