Quadrilha assalta quadrilha; todos são presos

A disputa entre duas quadrilhas pelo produto do roubo da casa do engenheiro Plínio Almeida, 61 anos, invadida em janeiro no bairro da Boca do Rio, orla marítima da capital baiana, permitiu à polícia prender sete bandidos. Almeida, sua mulher Ana Vilani Gomes e a empregada do casal, Maria Souza, foram assassinados friamente pelo bando formado por seis homens sob o comando do ex-caseiro Daniel Santana.Depois de matar Almeida, Ana e Maria, os bandidos levaram aparelhos de som, uma pistola, uma espingarda calibre 28, um jogo de baixela de prata, máquina fotográfica e outros objetos. O material foi guardado no barraco de Carlos Alberto de Jesus, um dos membros da quadrilha, no Bairro da Paz. Além de Santana e Jesus, faziam parte do bando Manoel Santos, Ricardo Nascimento (os quatro invadiram a casa do engenheiro) e mais Valter Bispo dos Santos e Sidnei Araújo.Antes de dividirem o produto do roubo, contudo, o esconderijo da quadrilha, foi atacado por outro bando, formado por Avani de Souza, Antonio Silva e Samuel Gomes. Os três souberam que a quadrilha de Santana havia conseguido objetos de valor na casa do engenheiro Almeida e resolveram assaltar os "colegas de profissão". Houve um intenso tiroteio resultando na morte de Valter Santos e Sidnei Araújo, além de ferimentos em Carlos Alberto de Jesus. A quadrilha de Santana conseguiu, apesar de tudo, rechaçar os agressores e ficar com os objetos roubados.No entanto, a disputa chegou ao conhecimento da polícia, que passou a investigar o caso do Bairro da Paz e acabou prendendo ontem sete bandidos - os quatro sobreviventes da quadrilha de Santana e os três que atacaram o esconderijo do bando. O delegado Valter Seixas, titular da Delegacia de Homicídios de Salvador, informou que praticamente todos os objetos levados da casa do engenheiro Almeida foram recuperados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.