Quadrilha de contrabando de R$ 1,99 movimenta milhões

A Operação Boneco de Pano, da Polícia Federal, prendeu hoje, em seis Estados, 21 pessoas acusadas de integrarem uma quadrilha de contrabandistas de artigos de armarinho, conhecidos como mercadorias de R$ 1,99. Durante as investigações, iniciadas no ano passado, foram feitas apreensões de mais de R$ 1 milhão em mercadorias. A PF calcula que, entre 2004 e 2005, tenham sido contrabandeados produtos em montante superior a R$ 20 milhões. Foi a primeira grande operação, envolvendo 250 policiais, contra o contrabando desse tipo de mercadoria. "As investigações continuam", destacou o delegado Renato Lima.Na operação de hoje, chamada de Boneco de Pano, foram presas sete pessoas em São Paulo, seis no Paraná, duas em Goiás, duas no Ceará, duas no Pará e duas em Pernambuco. A polícia ressaltou que entre os presos estão proprietários de lojas, de empresas de fachada e transportadoras.EsquemaDe acordo com a PF em Foz do Iguaçu, as mercadorias viriam da China, entravam ilegalmente no País pela divisa com o Paraguai. Em Foz ganhavam nova embalagem e com uma "cara" brasileira seguiam para São Paulo, escoradas em notas fiscais de empresas de fachada. Da capital paulista era feita a distribuição para os clientes locais e para diversos Estados. A polícia investiga também o possível uso de selos do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) nas mercadorias. Um rolo com etiquetas foi encontrado durante as investigações.No cumprimento de 46 mandados de busca e apreensão foram recolhidos dezenas de documentos, notas fiscais, mercadorias, quatro armas, nove automóveis, uma motocicleta, além de 48,4 mil euros e 7 mil dólares. Escutas telefônicas ajudaram na investigação, que ganhou impulso com a descoberta, em Foz do Iguaçu, de grandes armazéns onde eram depositadas as mercadorias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.