Quadrilha é presa com bomba ao tentar resgatar presos

Nove integrantes de uma quadrilha, entre eles uma garota de 14 anos, foram presos hoje de manhã após tentativa de resgate de presos da Cadeia Pública de Tietê, na região de Sorocaba. Além de armas, o grupo levava uma bomba feita com 8 dinamites acopladas a um detonador. A Polícia Civil investiga a ligação dos integrantes com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que atua nos presídios paulistas. Os bandidos estavam em 4 carros e renderam o padeiro Geraldo André Machia, de 57 anos, quando este chegava com o pão para o café da manhã dos presos. O carcereiro Luís Mantovani desconfiou e, ao invés de abrir o portão, avisou a polícia. Houve perseguição. Na fuga, os bandidos jogaram a bomba em um terreno baldio. Eles se desfizeram também das armas - revólveres, pistolas automáticas e um fuzil. Os bandidos Marcos José Formieli, de 28 anos, Rodrigo da Silva, de 18, Adrian da Silva Soares, de 19, Ricardo Rodrigues, de 19, Elaine Moreira Araujo, de 24, Flávio Gomes Pereira, de 27, Wellington Luís da Silva Augusto, de 18, Geraldo Gomes de Oliveira Neto, de 23, e a garota B.O., de 14 anos, foram presos sem resistência. O Esquadrão Anti-Bombas da Polícia Civil de São Paulo foi acionado para desarmar o artefato jogado no terreno. Segundo policiais, a bomba tinha potência para explodir a muralha de um presídio.

Agencia Estado,

18 Junho 2003 | 17h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.