Quadrilha fornecedora de maconha para o Rio é presa no MS

Índios eram pagos pelos criminosos para cuidar das lavouras e colheita de maconha

João Naves de Oliveira,

10 de maio de 2012 | 14h51

Campo Grande, 10 - Uma quadrilha de narcotraficantes especializada na produção e distribuição de maconha paraguaia no Rio de Janeiro, foi presa hoje, 10, em Mato Grosso do Sul. As prisões foram realizadas a partir da madrugada na cidade de Coronel Sapucaia, que faz divisa seca com Capitán Bado, Paraguai, no extremo sul do MS e a 320 quilômetros de Campo Grande.

A missão da Polícia Federal, denominada "Conexão Rio-Sapucaia", começou há cinco meses, a partir de apreensões de maconha e cocaína, envolvendo ramificações do grupo de traficantes de drogas, existentes também em São Paulo. Durante o período de investigação foram apreendidas 20 toneladas de drogas, segundo informações da PF com sede em Ponta Porã, situada na região de Coronel Sapucaia.

Estão presos dois homens que comandam as plantações, colheitas e processamento da maconha cultivada em clareiras abertas no centro das matas de Capitán Bado. Pequenos agricultores e índios são pagos pelos criminosos, pra cuidar das lavouras, da colheita, formar fardos, prensar e embalar a maconha. O tráfico desde Coronel Sapucaia te o Rio de Janeiro, é feito em dezenas de automóveis modelos populares, como forma de pulverizar a distribuição e dificultar as apreensões, segundo a PF.

No final da tarde a PF divulgara relatório completo sobre o número de prisões e os nomes dos acusados.

Mais conteúdo sobre:
maconhaquadrilhaMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.