Quadrilha mantém 9 pessoas reféns para roubar gado em SP

Grupo deixou duas famílias presas por 12 horas e levou cerca de 200 animais em Boa Esperança do Sul

Cláudio Dias, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2008 | 16h45

Uma quadrilha roubou cerca de 200 cabeças de gado, sendo a maioria da raça Nelore, de uma fazenda nas margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-255), em Boa Esperança do Sul, na divisa com Araraquara, a 270 quilômetros de São Paulo. Os homens armados renderam duas famílias de caseiros mantendo-os reféns por 12 horas, das 18 horas de segunda-feira, até às 6 horas desta terça-feira, 17. Na fazenda sobraram pouco mais de 50 animais. A polícia não tem pistas do bando.   O caseiro Edinaldo Carneiro da Silva, de 38 anos, conta ter sido rendido inicialmente por três homens que simularam procurar por um morador. "Falamos que não tinha ninguém com esse nome aqui, foi quando eles tiraram a arma e anunciaram o assalto", conta o funcionário. Ele, o amigo também caseiro, as esposas e cinco crianças ficaram 12 horas trancados em um quarto da casa e sob a mira de revólveres. "Não dava para ver nada. Só sei que chegou mais um pessoal e com um caminhão."   Os ladrões usaram três cavalos da fazenda e, durante toda a madrugada, tiraram o gado de uma área distante da sede dos caseiros e levaram até um curral, quase na entrada da propriedade. Aos poucos, os animais foram carregados, a principio, em apenas um caminhão. Cerca de dez viagens foram feitas. O gado roubado está avaliado em R$ 100 mil. Os animais são criados para a venda em frigorífico. A Polícia Militar desconfia que o gado esteja ainda na cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
roubo a gadoAraraquaraNelore

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.