Qualidade de vida

Em 8/2/2007 o site da Prefeitura publicou a notícia que o prefeito Gilberto Kassab havia sancionado a Lei 14.266 que trata da criação do Sistema Cicloviário do Município de São Paulo. Segue parte do teor da notícia: "A lei estabelece ações e metas que já vêm sendo desenvolvidas e perseguidas pelo grupo pró-ciclista, tais como a criação de ciclofaixas e ciclovias; estabelecimento de locais específicos para estacionamento de bicicletas; articulação do transporte por bicicleta com o Sistema Integrado de Transporte de Passageiros; agregar em terminais de transporte coletivo urbano infraestrutura apropriada para a guarda de bicicletas; permitir o acesso e transporte do ciclista com sua bicicleta em vagão especial em trens e Metrô." Na quarta-feira a massagista (por profissão) e ciclista (por opção) Regina de Andrade Prado foi atropelada por um ônibus na Avenida Paulista quando circulava perto do meio-fio. Ela não estava em nenhuma das ciclovias criadas pela Prefeitura. Nossa cidade conta com apenas 29,5 km de ciclovias. Realmente o empenho não é dos maiores. O que questiono é que tipo de mobilidade sustentável é essa? Na segunda-feira pela manhã notei no estacionamento de um dos principais conjuntos comerciais de São Paulo, na região da Berrini, muitas bicicletas estacionadas. Sim, a população quer poder ir ao trabalho de bicicleta, quer ter uma vida mais saudável. Ela é suscetível aos incentivos, aos comandos. Vocês acham que as ruas de São Paulo têm alguma condição de receber ciclistas? Perdemos mais uma. De novo não vamos fazer nada?FRANCISCO VOLPONISão PauloAs cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.