"Quando o meu acaba em casa, eu pego", diz enfermeiro

O enfermeiro Romero dos Santos disseque pega livremente medicamentos de uso controlado na Santa Casade Misericórdia de São Paulo. Ele negou de todas as formas queestivesse vendendo drogas dentro do pronto-socorro. Primeiro,afirmou que "aquilo" não era seu. Depois, ele garantiu serdependente químico e disse que não vendeu a droga, mas apenasdeu.Sobre os comprimidos de Diazepan que guardava em suabolsa, Romero afirmou que eram para seu uso pessoal. Com ele,foi encontrada ainda uma pequena embalagem com comprimidos doantiinflamatório Voltaren com etiqueta de propriedade dohospital. No 77.º Distrito Policial, o enfermeiro disse que sófalaria sobre a acusação em juízo.Porque você trabalha aqui você pega na gavetao Diazepan e não precisa de uma receita para controle?Romero dos Santos - Agora vão dizer que eu estouroubando Diazepan do hospital...Explica então, para você não sair como ladrãode Diazepan...Não sou ladrão.Então como é que você pega? Você tinhabastante naquele tubinho. Você pega para vender?Não, não. Pior que não.Só para você, é isso? Como é que você pegaisso?Quando eu preciso e o meu acaba em casa, eupego. Eu tô trabalhando...E nunca ninguém sente falta? Porque tembastante lá (no pronto-socorro).Tem bastante aqui, tem no outro setor.Qualquer medicamento que você quiser, você,que trabalha aqui dentro, tem acesso?Entre aspas...Morfina, por exemplo?(De cabeça baixa, o enfermeiro faz um movimentonegativo)Calmante assim é mais fácil?(Romero permanece em silêncio)

Agencia Estado,

01 de setembro de 2002 | 22h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.