Quase 2 milhões assinam documento virtual

Até as 20 horas de ontem, exatos 1.991.612 brasileiros haviam assinado uma petição virtual do site www.aavaz.org em favor do projeto Ficha Limpa, que terá pedido de urgência urgentíssima apreciado pelo Congresso. A meta era alcançar, ainda ontem, a marca de 2 milhões de eleitores, endossando o pedido para votação, que é encaminhado aos e-mails dos deputados.

Moacir Assunção, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2010 | 00h00

A lista em papel já entregue ao Congresso para a apreciação do projeto de iniciativa popular chegou a 1,6 milhão de nomes. Juntando as duas, o projeto terá recebido o apoio de 3,6 milhões de eleitores.

Com base em Nova York, nos Estados Unidos, o Aavaz - cujo nome remete ao significado de "a voz" em línguas asiáticas e do Oriente Médio - é uma organização não-governamental (ONG) que participa de mobilizações para variadas campanhas de opinião pela internet, com temas tão díspares quanto o aquecimento global, o conflito israelense-palestino e a guerra no Iraque. O diretor executivo da ONG é o canadense Ricken Patel. O site é hoje um dos mais importantes parceiros do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), rede de 44 entidades que lançou o projeto Ficha Limpa.

O presidente do MCCE, o juiz eleitoral Márlon Reis, afirmou que o grande número de assinaturas na petição eletrônica do Aavaz demonstra que a legislação eleitoral precisa se adequar aos novos tempos. "Hoje, só é possível fazer as petições por meio de papel, mas isso é uma coisa absolutamente pré-histórica. Com a petição online, a população demonstra que está muito além dos legisladores."

Reis defendeu mudanças na legislação eleitoral para permitir que os eleitores possam se manifestar por meio da rede internacional de computadores. "Se hoje nós podemos até movimentar contas bancárias pela internet, porque não poderíamos entrar em site seguro como o aavaz. org e responder a uma pesquisa desse tipo?", questionou.

Manifestação. Hoje, a ONG de mobilizações sairá da rede mundial. Membros da entidade vão promover uma manifestação em forma de arte, com uma improvisação de um grupo de teatro de rua, às 16 horas, em frente ao Congresso Nacional. Quem quiser participar pode levar produtos de limpeza, vassouras e baldes para a "limpeza" simbólica da Câmara e do Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.