Quase quinhentas famílias ficam desabrigadas

O fogo que destruiu do quarto ao nono andar do edifício de número 700 da Rua Brigadeiro Tobias, no centro da cidade de São Paulo, deixou desabrigadas as 468 famílias integrantes do MSTC - Movimento Sem-Teto da Capital, que o haviam ocupado há cerca de 10 meses. A Prefeitura Municipal de São Paulo, através do setor de Defesa Civil, ainda não decidiu para onde serão encaminhadas as pessoas, muitas das quais ficaram sem nenhum de seus pertences.Há duas versões para as possíveis causas do incêndio, que teve início por volta de 1h00 da madrugada deste domingo, no quarto andar do prédio. A primeira delas é um curto-circuito, decorrente da quantidade de ligações clandestinas - "gatos" - que foram feitas em todos os apartamentos e corredores. A outra é que uma vela acesa, por causa da falta de energia, tenha caído e ateado fogo na grande quantidade de material inflamável existente no local. Apesar do número de guarnições acionadas do Corpo de Bombeiros, foram necessárias cerca de três horas para a situação ser controlada e iniciar-se o trabalho de rescaldo. Segundo os soldados, porém, as estruturas do edifício ficaram abaladas e ele poderá desabar. Por isso, todos foram proibidos de subir para apanhar os próprios pertences.Dos moradores, apenas uma pessoa teria sofrido um ferimento na mão durante a evacuação do prédio. O prédio ocupado, que pode ser acessado tanto pela Rua Brigadeiro Tobias quanto pela Av. Prestes Maia, pertence à Cia Nacional de Tecidos. Estava abandonado e os integrantes do movimento o ocuparam. O fogo danificou apenas o bloco A. Os moradores do bloco B puderam permanecer em suas residências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.