Quatro comerciantes são presos por pedofilia na Bahia

Quatro comerciantes da cidade de Jitaúna, a cerca de 350 quilômetros da capital baiana, foram presos nesta sexta-feira acusados de pedofilia. Conforme o Conselho Tutelar a Delegacia de Polícia do município eles vinham, com outros dois homens (que estão foragidos), mantendo relações sexuais com garotas de idade variando ente 11 e 15 anos. As meninas, de famílias humildes, eram "pagas" pelos favores sexuais com bananas, mangas e outras frutas, além de quantias mínimas como R$ 1 e R$ 2. Antonio de Almeida Rodrigues e Arnaldo Costa de Almeida, ambos de 68 anos, Ademário Mota, de 54, e Gervásio Andrade, de 64 anos, estão presos da Delegacia de Jitaúna e foram indiciados pela delegada Gabriela Macedo no crime de estupro a menores e, se condenados, podem pegar penas que variam de 6 a 10 anos de prisão. Dos quatro, somente Gervásio admitiu que mantinha relações sexuais com uma das seis menores vítimas do grupo. "Ela já tinha sido casada" tentou se justificar. A delegada tomou o depoimento até o momento de três garotas uma das quais está grávida, mas não sabe quem é o pai, pois manteve relações sexuais com os seis pedófilos. A polícia chegou aos suspeitos graças a denuncias anônimas de moradores da cidade.

Agencia Estado,

03 Fevereiro 2006 | 13h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.