Quatro crianças têm queimaduras graves dentro de casa no Rio

Pais das crianças foram levados para prestar depoimento em delegacia de Belfor Roxo, na baixada fluminense

Tiago Rogero, Estadão.com.br

27 de maio de 2011 | 10h16

RIO - Quatro crianças, irmãos com idades entre 5 e 10 anos, deram entrada ontem à noite com queimaduras graves na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Parque Lafaiete, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Segundo a polícia, a mãe contou que saiu de casa por volta de 22h para buscar um fraco de repelentes, a poucos metros da residência, e quando voltou um vizinho fazia o socorro das crianças.

 

A polícia ainda não sabe o que teria provocado as queimaduras. A casa fica na comunidade do Guarani, em São João do Meriti. Quando as crianças deram entrada na UPA, em Duque de Caxias, funcionários da unidade acionaram os militares do 21º BPM (São João de Meriti). Eles foram até a residência e encontraram as marcas de incêndio.

 

Ainda de acordo com a polícia, o padrasto das crianças, Alexsandro Vieira de Souza, estava com as vítimas no momento em que se queimaram. Ele e a mãe, Marina do Nascimento Batista, foram levados à 54ª DP (Belford Roxo), para prestar depoimento.

 

Segundo a secretaria estadual de Saúde, duas crianças foram levadas ao Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, na zona norte do Rio. Késia Cristina Batista Pinto, que sofreu queimaduras em 70% do corpo, e Jonathan Gabriel Batista Pinto, que teve 60% do corpo queimado, seguem internados em estado grave.

 

Mateus Roberto do Nascimento Batista, que foi levado para o Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, na zona oeste da cidade, teve entre 40% e 50% do corpo queimado, e segue em estado grave, mas estável.

 

Um terceiro menino foi encaminhado ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio. Segundo a secretaria municipal de Saúde,, que não informou o nome do garoto, ele teve cerca de 90% do corpo queimado e seu estado de saúde é grave.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.