Quatro escolas estão no páreo para levar o título em São Paulo

Desfiles de boa qualidade técnica, baterias com coreografia e paradinha, nada de atrasos, a disputa de musas entre a loira e a morena do Tchan, luxo e todo o desfile feito à noite, para garantir o brilho. Ao fechar o segundo dia de apresentações no Sambódromo com lotação esgotada, o carnaval paulistano deu mostras domingo de que já se iguala ao do Rio - em profissionalismo, pelo menos. ?Estão muito iguais os desfiles das duas cidades?, disse a sambista Beth Carvalho, símbolo da Mangueira, que saiu na Vai-Vai. Também o nível das escolas cresceu na segunda noite, com menor disparidade entre as concorrentes. A platéia ficou em pé do início ao fim do desfile da Vai-Vai, que fez frente à atual bicampeã, a Império de Casa Verde. Outros destaques de ontem foram a Águia de Ouro - o samba levantou a platéia e garantiu o melhor desfile da história da escola - e a Mocidade Alegre. A disputa do título deve ficar entre duas escolas do primeiro desfile, Império e Unidos da Vila Maria, e duas da segunda noite, Vai-Vai e Mocidade. A apuração do carnaval 2007 começa amanhã, às 9h30.PÉROLA NEGRAApesar da animação, já na abertura, às 22h40, a escola da Vila Madalena reconheceu que não estava entre as favoritas: pediu ao público garra e vibração para permanecer no Grupo Especial. O segundo carro alegórico teve problemas e quebrou na concentração. O carro saiu por último, mas o esforço sensibilizou a platéia, que aplaudiu e cantou com a escola. VAI-VAINa seqüência, os aplausos viraram gritos e bandeiras brancas se agitaram por toda a arquibancada quando a escola do Bexiga voltou ao Anhembi. No abre-alas, prateado, a tradicional coroa deu lugar à tecnologia: um telão digital exibia cenas dos 12 campeonatos vencidos pela Vai-Vai e cenas da natureza para apresentar o enredo O 4º reino - O reino do absurdo, sobre reciclagem. Os cinco carros alegóricos foram confeccionados com materiais como plásticos e CDs. Madrinha da bateria, a dançarina Scheila Carvalho disputa o posto de musa do carnaval de 2007 com seu ex-colega do É o Tchan Sheila Mello, que brilhou na Império.UNIDOS DO PERUCHEO desfile não empolgou adultos, mas, para as crianças, nenhum carro chamou mais a atenção que o Xodó, onde havia 12 berços com a Turma da Mônica em versão bebê. Aos 71 anos, o homenageado, Maurício de Souza, não fez feio. Dançou por 1 hora e 2 minutos. ?O mais emocionante foi ter sido ovacionado.?A Mancha já desfilou como campeã da Liga Esportiva, mas não pode, pelo regulamento, concorrer ao título do Grupo Especial. Se não fosse por isso, estaria no páreo. O enredo sobre profecias falava do conflito entre o bem e o mal de forma criativa e teatral. A Mancha entrou na avenida rezando a Ave-Maria e dedicou o desfile ao menino João Hélio Fernandes, de 6 anos, assassinado no Rio.ÁGUIA DE OUROO presidente da Águia, Sidnei Carrioulo, resumiu o espírito do desfile antes de entrar na avenida. ?Estamos com esse título entalado?, gritou, pedindo garra. O samba Deus fez o Homem do Barro e a Águia de Ouro, um Brasil Feito à Mão fez o público dançar como nunca antes num desfile da escola. Mas os carros alegóricos, especialmente o último, deixaram a desejar.ROSAS DE OUROA comissão de frente emocionou o público ao representar o quadro Retirantes, de Portinari. Os bailarinos encarnaram migrantes nordestinos atingidos pela seca, com maquiagem impecável. Um tapete arrastado ao longo da avenida representava o solo rachado do sertão. Outra atração foi o astronauta Marcos Pontes, para quem estar no espaço ou na passarela tem ?o mesmo nível de emoção?. A Rosas fez um desfile suntuoso, mas com pouca emoção. MOCIDADE ALEGREFechando o carnaval, a Mocidade levou o riso para o Anhembi. Fez o desfile mais colorido, indo além do vermelho, verde e branco de sua bandeira, para retratar o universo infantil. Pôs palhaços na comissão de frente, mesma fantasia usada pelo puxador de samba, Daniel Colette. A Mocidade soltou centenas de balões no céu e, no último carro, comemorou seus 40 anos, fechando um desfile que credencia a escola do Bairro do Limão ao sexto título. BRUNO PAES MANSO, FABIANO RAMPAZZO, PAULO BARALDI, LAURA DINIZ, JULIANO MACHADO, JULIANA DE FARIA, JULIANA ARAÚJO E CINTHIA RODRIGUES

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.