Quatro permanecem hospitalizados após tiroteio no RJ que deixou 2 mortos

De acordo com a polícia, rapaz morto teria matado o irmão de um traficante de Nova Friburgo

Marcelo Gomes,

14 Janeiro 2013 | 19h09

RIO DE JANEIRO - Duas pessoas foram mortas a tiros após dois homens efetuarem disparos contra foliões que participavam do ensaio de um bloco de carnaval em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, na noite de domingo, 13. Daniel Fernando Combat Silva, de 20 anos, morreu na hora. Wanderite Luiza Klem, de 44 anos, chegou a ser socorrida, recebeu uma transfusão de sangue, mas morreu na madrugada desta segunda-feira, 14, no Hospital Municipal Raul Sertã. Ela havia ido à festa para buscar o filho. Outras dez pessoas também foram feridas. Até o início da tarde desta segunda, quatro permaneciam hospitalizadas, nenhuma em estado grave.

Os homens fugiram após atirarem nas pessoas que estavam no Blocão do Rastafari, em frente a uma choperia localizada sob as arquibancadas do Estádio Eduardo Guinle, do Friburguense Atlético Clube, time da primeira divisão do Campeonato Carioca. Cerca de 400 foliões participavam do ensaio do bloco, um dos mais tradicionais da cidade.

Um dos bandidos utilizou uma pistola calibre 380, e seu comparsa, um revólver 38. De acordo com o delegado Anestor Magalhães, titular da 151ª Delegacia de Polícia (Nova Friburgo), os dois criminosos já foram identificados e estão sendo procurados desde a madrugada desta segunda.

A principal linha de investigação sobre o motivo do ataque é que os atiradores pretendiam fazer um acerto de contas com o rapaz que foi executado, mas acabou atingindo as outras pessoas. Segundo a Polícia Civil, Daniel Silva é suspeito de ter matado um irmão de um traficante daquela localidade.

Mais conteúdo sobre:
Carnaval

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.