Ulisses Gabriel
Ulisses Gabriel

Quatro pessoas são presas por furto de cédulas deixadas por bandidos após assalto em Criciúma

Polícia encontra R$810 mil no apartamento onde os presos estavam; nas redes sociais, vídeos mostram as cédulas espalhadas pelas ruas após explosão em agência bancária

Amanda Garcia Ludwig, especial para o Estadão

01 de dezembro de 2020 | 09h33
Atualizado 01 de dezembro de 2020 | 21h29

CRICIÚMA - Quatro homens foram presos pelo furto de cédulas de dinheiro deixadas por bandidos após o assalto a uma agência bancária de Criciúma (SC), na madrugada desta terça-feira, 1º.  Logo após o fim dos tiroteios, a Polícia Militar (PM) apreendeu R$ 810 mil em dinheiro em um apartamento da área central de Criciúma. Nesta ocorrência, quatro pessoas foram presas e conduzidas à Delegacia de Polícia.

Eles alegam não ter envolvimento com os criminosos que praticaram o assalto nesta madrugada. A Polícia Civil investigará se os suspeitos presos teriam aproveitado a situação para pegar o dinheiro que ficou para trás durante a ação, após a fuga do grupo.

Além disso, o comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Criciúma, tenente-coronel Christian Dimitri, recebeu informações de pessoas da comunidade que aproveitaram a situação para saquear notas de dinheiro da agência. "Essas cédulas serão rastreadas e vamos chegar aos infratores". Nas redes sociais, vídeos mostram pessoas recolhendo o dinheiro nas ruas da cidade.

De acordo com a Polícia Militar, criminosos armados com explosivos e munições de vários calibres assaltaram a agência bancária e efetuaram disparos na região central da cidade. No início da ação, os criminosos chegaram a atirar contra o 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Criciúma. Um policial militar foi ferido no abdômen e precisou passar por uma cirurgia. No início da manhã desta terça-feira, 1º, a Polícia Militar emitiu uma nota oficial, informando que após passar por uma cirurgia, o profissional apresenta um quadro de saúde que ainda inspira cuidados.

A PM busca, ainda, um vigilante que teria sido ferido durante a ação criminosa. Durante a madrugada, circularam informações de que além do policial, um profissional da área da segurança também teria sido atingido pelos disparos. Esta pessoa não foi encontrada até o momento, e a PM ainda tenta confirmar a informação.

A Polícia Militar de Santa Catarina faz diligências em busca dos criminosos na manhã desta segunda-feira. A PM conta com o apoio do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Choque, Batalhão de Aviação, Canil e Polícia Militar Rodoviária Estadual. Equipes de Inteligência das Forças de Segurança Pública também atuam em conjunto. A Polícia Civil do Estado acionou polícias do Rio Grande do Sul e Paraná para reforçar a ação. 

A PM reforça que denúncias podem ser encaminhadas por meio dos telefones 190, ou pelo 181 da Polícia Civil, aplicativo PMSC Cidadão ou Rede de Vizinhos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.