Quatro PMs são denunciados por morte de adolescente no Rio

Garoto de 13 anos morreu após ser atingido por quatro tiros de fuzil em março

estadão.com.br

21 Junho 2012 | 12h14

São Paulo, 21 - Quatro policiais militares, do 15º BPM, foram denunciados pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP/RJ), no último sábado, 16, pela morte do adolescente Igor Cordeiro Manhães, de 13 anos, ocorrida em 26 de março deste ano, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

O 2º tenente Diogo Souza da Silveira e os cabos Leonardo Antonio da Silva Araújo, Elton Carvalho dos Santos e Álvaro dos Santos Andrade Neto, foram denunciados por homicídio doloso simples. Se condenados, os PMs podem receber penas de até 20 anos de prisão cada um, segundo o MP.

A Promotora de Justiça Cláudia das Graças Mattos de Oliveira Portocarrero, subscritora da denúncia, relatou no texto que os PMs, em seus depoimentos, alegaram terem agido em legítima defesa, durante um tiroteio com supostos traficantes e que atingiram o estudante por engano. No entanto, os depoimentos dos demais policiais militares envolvidos na operação e provas periciais desmontam a versão apresentada por eles.

Segundo o MP, a Promotora de Justiça requereu também que o Juízo da 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias determine a suspensão parcial do exercício da função pública, para que os policiais militares fiquem impedidos de realizar atividades típicas de policiamento ostensivo.

O estudante Igor Cordeiro Manhães, de 13 anos, morreu após ser atingido por quatro tiros de fuzil na Vila Centenário, quando voltava para a casa de um parente, onde, mais cedo, ocorreu uma festa. A versão dos policiais militares é que havia uma operação no Complexo da Mangueirinha, em Duque de Caxias, e que os soldados do 15.º Batalhão da PM foram recebidos a tiros. Familiares acreditam que o jovem tenha sido executado.

Mais conteúdo sobre:
PM violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.