Quatro são acusados por incêndio em ônibus no RS

O delegado Elione Lopes acusou quatro pessoas pelo incêndio que destruiu um ônibus urbano e feriu 30 pessoas em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, dia 9 de janeiro. O inquérito foi remetido à Justiça na última quarta-feira. Foram indiciados por incêndio culposo o motorista Alexandre Hernandez, o fiscal Jorge Alberto Pacheco, a encarregada de compras Cláudia Silveira e o sócio da empresa Cotista, dona do veículo, Norli Norberto Camilo. Caso sejam processados e condenados, poderão pegar de seis meses a dois anos de prisão. Os acusados foram responsabilizados pelo delegado porque concordaram com o transporte de uma lata de tíner dentro do ônibus. O calor intenso daquele dia fez com que o solvente liberasse vapores, que entraram em combustão após contato com uma faísca, possivelmente da fricção de objetos metálicos. O fogo consumiu o veículo em poucos minutos. Desesperados, os passageiros quebraram as janelas para sair. Uma das passageiras, de 14 anos, teve queimaduras em 40% do corpo. O motorista Hernandez também sofreu ferimentos graves. Ambos continuam hospitalizados, em tratamento.

Agencia Estado,

02 Fevereiro 2006 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.