Quatro são presos acusados de pedofilia no Macapá

Mãe denunciou abusos sexuais que seu filho estaria sofrendo, o que levou PF a investigar

Solange Spigliatti, Central de Notícias

01 Julho 2009 | 13h29

Quatro pessoas, entre elas um médico pediatra e um servidor público, foram presos nesta quarta-feira, 1º, durante uma operação da Polícia Federal contra a pedofilia em Macapá, no Amapá. Cerca de 30 policiais federais cumpriram também cinco mandados de busca e apreensão contra os acusados de estarem cometendo abusos sexuais contra meninos menores de idade. Segundo a PF, pelo menos 20 crianças já confirmaram o abuso.

 

Veja também:

especialSaiba como proteger seus filhos

lista Todas as notícias sobre pedofilia

 

De acordo com a PF, a investigação começou há quatro meses quando a mãe de um menor denunciou à Polícia Federal os abusos sexuais que seu filho estaria sofrendo por diversas pessoas, provocando sérios problemas psicológicos no menor, obrigando-o inclusive a mudar de Estado.

 

Os aliciadores, homens adultos, com posição de relativo destaque na sociedade, segundo a PF, iam nas escolas e praças, principalmente no bairro Perpétuo Socorro, oferecendo dinheiro e outros agrados aos menores para a prática de atos libidinosos.

 

Os "encontros" eram intermediados pelos aliciadores, alguns menores de idade, para conseguir a confiança dos outros menores. Durante o cumprimento de um dos mandados de prisão, um dos envolvidos estava com quatro menores e o conselho tutelar teve de ser acionado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.